Análise das equipes da LJL 2021 Summer Split

League of Legends" summer league "LJL 2021 Summer Split" holding outline  announced - Japan NEWS

O Split Summer da LJL está prestes a começar, e neste artigo veremos como as equipes vem para a disputa da segunda etapa.

Esta edição será feita de forma online por conta dos problemas vividos pelo Japão neste momento de pandemia e contará com as mesmas 8 equipes da primeira etapa, além do mesmo formato.

Imagem

A poderosa DFM é a equipe dominante na LJL e que fatalmente vem como a grande favorita para o Split. A equipe sensação do momento trouxe um foco do mundo para a liga japonesa após sua exibição no MSI, onde quase bateram a DWG KIA mesmo jogando com seu coach na função de suporte. No primeiro Split, a Detonation perdeu dois jogos na fase regular e dois nos playoffs, mas nada que atrapalhasse a equipe, que desfilou no torneio e mostrou o gap comparado com as outras colegas de região.

A maior novidade se dá pelo fato de que agora Steal, jungler da equipe, conseguiu a residência japonesa, habilitando subsequentemente a volta de Gaeng à line-up titular. A equipe que jogou todo o primeiro semestre com Kazu, se limitava a trazer Rell, Alistar e Sett como suporte por conta da pool reduzida do ex-aposentado.

Gaeng jogou três vezes nesse semestre, entre os patches 11.3 e 11.4 e trouxe justamente Leona, Alistar e Thresh. No geral, Gaeng joga com suportes utilitários (Thresh, Bardo e até mesmo Lux), mas também sabe jogar com tanques. Yutapon é o bot laner mais experiente da região e tem vasta experiência, que somada às habilidades de Evi, Aria e Steal, evidenciam a disparada vantagem em macro e micro game dos campeões da liga.

Imagem

A equipe da Burning Core manteve o mesmo roster (com exceção do mid laner) que disputou as últimas três edições da LJL mas que aparentemente não apresentou resultados, conseguindo chegar apenas nos playoffs em Summer de 2020 quando perdeu para a DFM.

A equipe que pode ser considerada a INTZ nipônica, com 10 jogadores em seu elenco. Sofrem com falta de mecânica por parte individual e também de noções de macro, tomando ganks com facilidade ou até mesmo não sabendo jogar suas lane phases. Amargando a penúltima colocação com apenas 4 vitórias em 14 jogos no Spring Split, a BC se viu em boas situações quando pegou composições de forte engage, geralmente com um control mage no mid e um hyper carry no bot para Yuhi (jogador que pode-se considerar o destaque da equipe), além do sup com engage, inclusive, foi dessa forma a equipe conseguiu bater a V3 na última rodada da fase regular, que os jogou para um desempate.

Para esse Split a única alteração feita foi a demissão de seu general manager, Sowhaaaaat, deixando apenas 34 (pois é, nick estranho) como head coach.

Imagem

Curiosamente, a Crest teve uma campanha bem maluca. Estava com 3 vitórias e 3 derrotas na terceira semana de competição, aí então eles ficaram 0-2 na quarta semana e depois ficaram 1-1 nas duas semanas seguintes, até conquistar duas vitórias na sétima e última semana e sair da fase regular na suada 5° colocação com 7 vitórias e 7 derrotas. Nos playoffs a equipe não vingou e tomou já na primeira rodada um 3 à 0 da Sengoku, sendo assim eliminada.

A variação de composições que eles apresentam pode ser considerada e podemos observar aqui a preferência do top laner Nap que gosta de campeões que são utilitário em lutas 5v5 (Sion, Gragas, Renekton e Volibear) mas também apresentou Gnar e Camille como counter pick. Outro destaque também é o bot laner, Milan, que tem a pool focada em Kai’Sa, Xayah e Miss Fortune, tendo raramente jogado com outros campeões durante o Split.

Com o mesmo elenco da primeira etapa, a equipe contratou Momo para ser o top laner reserva, além de Kaito, que já estava na equipe, como mid laner reserva. Destaque para seu mid laner titular, Naehyun, que já passou por grandes equipes na LCK, como Kingzone DragonX e Griffin.

Imagem

Após um primeiro Split surpreendente para muitos (momento babaca: não para mim, pois cheguei a citá-los em um texto no começo do ano como uma futura possível terceira força da região), acho que está na hora da equipe tentar dar um passo a mais em sua promissora trajetória.

Quando eu penso na RJ, a primeira coisa que me vem à cabeça é a Vorax, pois eles são bem compactados, ajeitadinhos, um time que tem plena noção de seus pontos fortes e fracos e fazem questão de seguir à risca o seu plano de jogo, mas acho que isso uma hora ou outra acaba ficando manjado e a falta de repertório vai pesar em situações de melhores de 3 ou 5. Eu entendo que o contexto dessa line pedia essa concentração em achar rapidamente um modelo de jogo e aperfeiçoá-lo, já que tinham um – baita, diga-se de passagem – rookie na top lane, um mid laner que não atuava desde 2018 e uma dupla de coreanos que pisara pela primeira vez fora de seu país de origem.

Agora que já sofreram um primeiro tombo nos playoffs da etapa anterior, que presumo eu serviu para agregar experiência ao grupo, e Ssol e Secret tiveram mais tempo para se acostumar ao idioma nativo, creio que possam arriscar mais nesse segundo Split. Confesso duvidar do teto de alguns de seus jogadores (leia-se hachamecha e Recap), mas talvez essa irregularidade entre as peças seja o charme da equipe e o que os faça ser tão únicos nesse mar de mesmice e cópias mal feitas da LCK que é a LJL.

Imagem

AXIZ, oh, AXIZ… Ok, vamos lá. Seguiram o padrão das outras colegas de liga e não decidiram mexer em nada na line, mas acho isso foi um erro. É um dos poucos rosters que vejo não tendo futuro. Pra falar a verdade, a maioria dos jogadores nele também não tem muito o que dizer ou mostrar, talvez com exceção do seu mid laner e bot laner.

Fatalmente vão amargar as últimas colocações, pois são medíocres em todos as métricas estatísticas e não estatísticas e o prognóstico de melhoria não é animador. Sinceramente, gostaria que a gestão da AXIZ repensasse todo seu projeto no League of Legends, porque, na minha humilde opinião, estão tão sem função quanto a RW na LPL.

A ideia inicial da org era simpática, pois incentivavam os jogadores nativos através de seus elencos 100% japoneses, mas isso se perdeu com o tempo e, como estamos vendo, o negócio só piorou. Jeronphilip, “Advisor” da equipe, como consta em sua página no Leaguepedia, devia empregar melhor seu descarado nepotismo e escolher imports minimamente decentes para a coaching staff e line-up.

Imagem

Fukuoka SoftBank Hawks gaming, ou como gosto de dizer, a Torre de Babel da LJL. Tá aí uma equipe que eu me enganei profundamente em cravar como futura adversária direta da DFM. Seu primeiro Split foi claudicante, pobre, desanimador, tão inconstante quanto o formato de uma montanha-russa.

É um elenco que mescla medalhões da região, como apaMEN e Tussle – curiosamente agora ambos pais -, com jogadores relativamente mais novos, como Dasher, Zenit e Corporal. Uma típica receita para o sucesso, não? Mas fica só na imaginação mesmo. Individualmente até são constantes, com exceção de seu top laner (que é, de longe, o seu elo mais fraco). Fazem boas lane phases e calls agressivas, mas se perdem completamente quando o early game acaba e o mid game chega, etapa onde o macro game começa a ser mais requerido e decisivo.

Vale ressaltar também que, praticamente, foi a única equipe da região a fazer uma contratação para essa etapa, no caso, para a coaching staff. Raise, ex-Jin Air, se junta à Sweet (head coach) e Squirtle (coach) para atuar como coach, de forma remota. Provavelmente seu contato com Corporal dos tempos de Dire Wolves na OPL tenha firmado a ponte para sua chegada ao cenário japonês. Enfim, o coletivo deles não progrediu rápido o suficiente para alçarem voos maiores no primeiro Split, então, ingenuamente, espero que tenham melhorado a comunicação e todos seus outros problemas para essa etapa.

Imagem

A Sengoku Gaming veio para o primeiro Split de 2021 como uma das equipes mais fortes e promissoras da LJL. Após conseguir um terceiro lugar na Summer de 2020, a equipe quis alcançar voos ainda mais altos em 2021, e para isso mudou quase que completamente seu elenco de jogadores, mantendo apenas o suporte Enty. Paz, top laner que tinha acabado de ser campeão da liga e participado do Worlds de 2020 pela equipe da V3, se juntava aos samurais vermelhos, junto do mid laner Ramune, que era reserva da equipe Fukuoka Softbank e agora buscava se provar em um time promissor, além da contratação dos dois sul-coreanos Crash e Gango, para as posições de jungler e bot laner, respectivamente. No entanto, apesar de uma boa colocação na fase regular, terminando em 3° lugar com 8 vitórias e 6 derrotas, a equipe acabou caindo nos playoffs diante da V3, amargando um 4° lugar na liga.

Para o segundo Split, decidiram manter os mesmos jogadores, o que é bom. Não se engane: a equipe possuí bons nomes em todas as posições e, com um trabalho contínuo, é quase certo que mostrarão uma melhora para a etapa de verão japonês. É uma equipe que se deve esperar, no mínimo, que fique entre os quatro melhores times na fase regular e uma classificação tranquila para os playoffs. Podendo até talvez chegar à final e disputar o título de campeão da LJL.

Imagem

Após se consagrar campeã do Summer Split em 2020 e, posteriormente, conseguir um resultado não tão bom no Worlds daquele mesmo ano, a V3 manteve apenas o mid laner Ace e o suporte Raina para o primeiro split de 2021. As contratações feitas pela equipe, no entanto, geraram dúvida: o top laner Cogcog não tinha feito um bom segundo Split em 2020 pela equipe da Rascal Jester, enquanto os dois sul-coreanos Moojin (jungler) e Hollow (bot laner) nem sequer tinham jogado profissionalmente na segunda metade de 2020. Todavia, a equipe excedeu as expectativas, se mostrando um time muito consistente e conseguindo uma quarta colocação na fase regular. Nos playoffs, a equipe chegou até a final da liga, fazendo uma reedição da final do segundo Split de 2020 contra a DetonatioN FocusMe, mas nesta ocasião o resultado foi diferente e a equipe garantiu o vice-campeonato, o que, diga-se de passagem, era esperado que ficasse com a equipe da Rascal Jester.

Para o Summer Split desse ano, não houve mudanças na equipe, que, de fato, não eram necessárias. Esse elenco já conseguiu um ótimo resultado no primeiro Split, então apenas seguir com os mesmos jogadores e manter o trabalho feito até aqui é o caminho certo a se seguir. Depois de se provarem na etapa passada, o que se espera dessa equipe é que consigam, no mínimo, chegar até as semifinais, com o sonho de um segundo título sendo algo totalmente possível e que segue vivo para os jogadores. Porém, as equipes da Rascal Jester e a favorita ao título e atual campeã, DetonatioN FocusMe, também vêm fortes para essa disputa, então tenha certeza de que não será um objetivo fácil a se conquistar.

Obrigado a todos que leram até aqui e fiquem ligados, pois na madrugada de amanhã, à partir de 01h da manhã pelo horário de Brasília, começa a LJL 2021 Summer Season!

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s